Dia mundial da Atividade Física

A 6 de abril comemora-se o Dia mundial da atividade física, uma iniciativa da Organização Mundial da Saúde (OMS) que nasceu como forma de luta contra o sedentarismo, um dos principais fatores de risco de morte no mundo inteiro. No contexto atual, de confinamento, a recomendação é interromper o comportamento sedentário, de 30 em 30 minutos.

A direção-geral de saúde adianta, que “basta recorrer a várias estratégias” como, por exemplo, por um alarme, deixar o comando da televisão longe do alcance da mão ou atender os telefonemas de pé para lembrar as pessoas de se levantarem periodicamente”.

Consulte aqui outras sugestões da DGS.

“A Vida Triunfa em Casa” de José Jorge Letria

ilustração de El diluvio universal

O poeta, escritor e presidente da Sociedade Portuguesa de Autores, José Jorge Letria, escreveu um poema sobre o isolamento a que a Covid-19 obriga.

A vida triunfa em casa

Esta ausência não foi por nós pedida,

este silêncio não é da nossa lavra,

já nem Pessoa conversa com Pessoa,

com o feitiço sempre imenso da palavra

Este tempo só é o nosso tempo

porque é nossa a dor que nos sufoca

e faz de cada dia a ferida entreaberta

do assombro que esquivando-se nos toca

Esta ausência é dos netos, dos filhos, dos avós,

é a casa alquebrada pelo medo,

é a febre a arder na nossa voz

por saber que o mal a magoa em segredo

Este silêncio é um sussurro tão antigo

que mata como a peste já matava;

vem de longe sem nada ter de amigo

com a mesma angústia que nos castigava

Esta ausência é uma pátria revoltada

que se fecha em casa sempre à espera

que a febre não a vença nem lhe roube

a luz mansa que lhe traz a Primavera

Esta casa somos nós de sentinela,

à espera que a rua de novo nos console

e que festeje debruçada à janela

a alegria que só nasce com o sol

Esta ausência mais tarde há-de ter fim,

por nada lhe faltar nem inocência;

que se escute o desejo de saúde

anunciando que vai pôr fim à inclemência

Que se abram as portas e as janelas,

que o medo, derrotado, parta sem destino

por ser esse o sonho colorido

que ilumina o riso de um menino.

José Jorge Letria (20 de março de 2020)

Fonte: José Jorge Letria escreve poema sobre o covid-19: “A Vida Triunfa em Casa”. (2020). Jornal Expresso. Retrieved 5 April 2020, from https://expresso.pt/coronavirus/2020-03-21-Jose-Jorge-Letria-escreve-poema-sobre-o-covid-19-A-Vida-Triunfa-em-Casa

Dia internacional do livro infantil

“Apenas viver não é suficiente, disse a borboleta. É preciso ter sol, liberdade e uma pequena flor. “

Hans Christian Andersen

No dia 2 de abril comemora-se em todo o mundo o nascimento de Hans Christian Andersen. ​A partir de 1967, este dia passou a ser designado por Dia Internacional do Livro Infantil, chamando-se a atenção para a importância da leitura e para o papel fundamental dos livros para a infância. O tema deste ano é «Fome de palavras», tão bem representado no cartaz português, ilustrado por André Letria.

O International Board of Books for Young People (IBBY) divulga também um cartaz e uma mensagem. Este ano, da responsabilidade da Eslovénia, o texto que transcrevemos em baixo é da autoria do escritor Peter Svetina.

FOME DE PALAVRAS
“Na minha terra, os arbustos florescem em finais de abril, início de maio, e
logo se enchem de casulos de borboletas. Parecem bolas de algodão ou
pedacinhos de algodão doce, mas as crisálidas que ali de desenvolvem
devoram folha após folha, até os arbustos ficarem despidos. Quando as
borboletas saem destes casulos, iniciam os seus voos delicados, mas os
arbustos não são destruídos. E quando chega o Verão, florescem
novamente, e assim acontece ano após ano.
É isto que sucede ao escritor e ao poeta. São devorados, esvaziados pelas
suas histórias ou poemas: quando estes já estão escritos, saem a voar para
acabar nos livros e poderem encontrar os seus ouvintes ou leitores. E isto
repete-se uma vez, e outra vez.
O que acontece aos poemas e às histórias? Conheço um menino que foi
operado aos olhos. Depois da cirurgia, teve de ficar duas semanas deitado
sobre o lado direito. Durante um mês, não pode ler, não pode ler mesmo
nada. Quando ao fim de um mês e meio pegou finalmente num livro,
parecia que o livro era uma tigela onde apanhava palavras à colher. Como
se as comesse. Como se verdadeiramente as comesse.
Conheço uma rapariga que cresceu e é agora professora. Disse-me:
coitadas das crianças a quem os pais não leem livros.
As palavras nos poemas e nos contos são comida. Não são comida para o
corpo: ninguém pode encher o estômago com elas. São comida para o
espírito e para a alma.
Quando temos fome e sede, o estômago encolhe-se e a boca seca.
Procuramos um pedaço de pão, um prato de arroz, de milho, um peixe ou
uma banana. Quanto mais fome se tem, mais a atenção diminui, e já não
se vê mais nada para lá do pedaço de comida que nos saciaria.
A fome de palavras não se manifesta deste modo, mas adquire a forma da
melancolia, do esquecimento, da arrogância. As pessoas que sofrem este
tipo de fome não percebem que as suas almas tremem de frio e lhes
passam ao lado. Uma parte do mundo foge-lhes das mãos sem que disso
tenham consciência.
Esta fome pode ser saciada com contos e poemas.
Mas haverá esperança para aqueles que nunca se alimentaram de
palavras para satisfazer a fome?
Sim, há. O menino lê quase todos os dias. A menina que já cresceu e se
tornou professora lê histórias aos seus alunos. Todas as sextas. Todas as
semanas. Se um dia se esquecer, os alunos vão lembrá-la.
E quanto ao escritor e ao poeta? Quando chegar o Verão, ficarão
novamente verdes. E mais uma vez serão comidos pelas histórias e pelos
poemas que escrevem, que voarão em todas as direções, como
borboletas. Uma vez, e ainda outra vez.”

Peter Svetina (n. 1970, Ljubljana, Eslovénia)
Tradução: Maria Carlos Loureiro

Fonte: Dia internacional do livro infantil 2020 | DGLAB. (2020). Dglab.gov.pt. Retrieved 31 March 2020, from http://dglab.gov.pt/dia-internacional-do-livro-infantil-2020/

Divulgamos aqui os 12 melhores livros infantis de 2019, escolha da equipa PNL.

Ouve agora um dos escolhidos: A Manta do José , texto adaptado por Miguel Gouveia, com ilustração de Raquel Catalina.

No site da Rádio Miúdos , na opção + de 9 anos, podes ouvir o conto “As palavras cor de rosa” .

Finalmente, consulta aqui OS 10 MELHORES LIVROS INFANTIS DOS ÚLTIMOS 50 ANOS, revelados na edição #16 da revista Estante.

Estudo em Casa: dicas para te manteres seguro

Num momento em que as aulas deixaram de ser presenciais e passaram a ser realizadas a distância, parte do nosso dia é passado online, por isso a Direção-Geral da Educação, no âmbito do Centro de Sensibilização SeguraNet, alerta para a importância de um conjunto de cuidados a ter na utilização de ferramentas e serviços de Internet.

A campanha “Estudo em Casa: Dicas para te manteres seguro” tem como objetivo a promoção de um ambiente seguro, durante o Estudo em Casa.

Fonte: Campanha Estudo em Casa: dicas para te manteres seguro | SeguraNet. (2020). Seguranet.pt. Retrieved 1 April 2020, from https://www.seguranet.pt/pt/campanha-estudo-em-casa-dicas-para-te-manteres-seguro

Espalhando alegria 1

ilustração de  Brad Holland, in Pinzelladas al món

O arco-íris é um fenómeno natural que simboliza renovação, esperança e é o elemento de ligação entre o céu e a terra.

As 7 cores do arco-íris trazem-nos a alegria de que precisamos. São elas: o vermelho, laranja, amarelo, verde, azul, anil e violeta. Cada cor tem um significado.

  • Vermelho: paixão, força e coragem.
  • Laranja: harmonia.
  • Amarelo: juventude e energia.
  • Verde: esperança e sorte.
  • Azul: transparência, infinidade e eternidade.
  • Anil: disciplina.
  • Violeta: espiritualidade.

Fonte: Significado de Arco-íris – Dicionário de Símbolos. (2020). Dicionário de Símbolos. Retrieved 31 March 2020, from https://www.dicionariodesimbolos.com.br/arco-iris/

Espalhando alegria 2

O Cirque du Soleil, procurando contribuir para “espalhar a alegria” pelo mundo, criou a plataforma online CirqueConnect, permitindo ver alguns dos seus espetáculos a distância , de forma gratuita.

Para ver em família, divulgamos um Especial de 60 minutos – Cirque du Soleil.

Dia Mundial do Teatro

No dia 27 de março comemoramos o Dia Mundial do Teatro. Mesmo à distância, podemos celebrar o teatro e aquilo que sempre nos deu: a alegria de, todos juntos, partilharmos ideias, sentimentos e emoções.

Sugerimos a leitura das seguintes peças:

Wook.pt - Os Piratas - Teatro
Os Piratas, de Manuel António Pina

SINOPSE

E se, de repente, te visses a bordo de um navio de piratas? Não fazes ideia de como foste lá parar, só sabes que tens de salvar a tua mãe, mas o Capitão toma-te por um dos seus grumetes… No meio do desespero, acordas e pensas que tudo não passou de um terrível pesadelo. Mas logo te apercebes que ainda trazes na cabeça o lenço vermelho de pirata… Terá sido sonho ou realidade?

Fonte: Português, L., Juvenis, I., & Juvenil, L. (2020). Os Piratas – Teatro – Livro – WOOKWook.pt. Retrieved 28 March 2020, from https://www.wook.pt/livro/os-piratas-teatro-manuel-antonio-pina/1572418

A Noite
A Noite, de Manuel António Pina

A Noite, peça de teatro de Manuel António Pina, foi estreada em Janeiro de 2001 no Teatro da Vilarinha, pela companhia Pé de Vento. Como diz o autor na carta de intenções para a encenação, «A ação passa-se em três tempos, dominados pelos dois aparecimentos de Vénus no horizonte visível, ora como “estrela da tarde” ora como “estrela da manhã”, isto é, pela morte e pelo renascimento”. Os dois irmãos gémeos representam a “duplicidade e contradição interna de cada homem”.
[Resumo da responsabilidade do Plano Nacional de Leitura 2027]

Imagem não encontrada
Teatro : atividário, de Ricardo Henriques ; il. de André Letria

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para apoio a projetos relacionados com as artes nos 3º, 4º, 5º e 6º anos de escolaridade.

Sinopse: Este Teatro que nasce lá atrás, nos bastidores da história, é português, por vezes vê-se grego e até fala francês: oh lá-lá, Molière, avant-scène, scaramouche. Este Teatro rompe a quarta parede que o separa do público, pede olhos de ver e palmas de bater. Este Teatro, folheia-se para encontrar sarilhos dos bons, tem malaguetas que não picam na boca e galinheiros para pessoas sem asas. Este Teatro sobe ao palco para que um príncipe dinamarquês possa ser ou não ser, para pentear uma cantora careca e para o Ernesto ter importância.

Fonte: Português, L., Juvenis, I., & Atividades, L. (2020). Teatro – Livro – WOOKWook.pt. Retrieved 28 March 2020, from https://www.wook.pt/livro/teatro-ricardo-henriques/16346592

Wook.pt - Um Auto à República
Um Auto à República, de Cidália Fernandes; Ilustração: Jorge Miguel 

Plano Nacional de Leitura
Livro recomendado para apoio a projetos relacionados com História de Portugal nos 3º, 4º, 5º e 6º anos de escolaridade.

Sinopse: Para comemoração do centenário da implantação da República, os alunos de uma escola resolveram aceitar o desafio da professora Augusta: comemorar o evento, através de uma representação teatral. Façamos com eles uma viagem ao passado ainda tão vivo; acompanhemos os acontecimentos e o entusiasmo das personagens que impulsionaram a mudança; recordemos os antecedentes, as lutas, as vitórias, os reveses e a paixão daqueles homens que inscreveram a história da sua Pátria na grande página da História da Humanidade.

Fonte: Português, L., & Portugal, H. (2020). Um Auto à República – Livro – WOOKWook.pt. Retrieved 28 March 2020, from https://www.wook.pt/livro/um-auto-a-republica-cidalia-fernandes/3549692

Instalem-se no sofá e, sem pagar bilhete, assistam a duas peças disponibilizadas pelo Teatro São Luiz durante o dia de hoje apenas:  

Oceano, de Ainhoa Vidal

O Convidador de Pirilampos, de António Jorge Gonçalves, com texto de Ondjaki

Dia do livro português

João Fortunato

Comemora-se hoje o Dia do Livro Português. Nesta data, criada pela Sociedade Portuguesa de Autores, pretende-se destacar a importância do livro, do saber e da língua portuguesa no mundo inteiro.

Divulgamos uma eleição levada a cabo pela revista Estante onde se pretendeu escolher os 12 melhores livros portugueses dos últimos 100 anos.

autores 2

E vocês já leram hoje? Que livro português mais vos marcou até agora?
Partilhem alguma passagem do livro que mais gostaram nos Comentários.